Acai_perola-negra-amazonia

Açaí, a Pérola Negra da Amazônia

Sumário

[rtoc_mokuji title=”” title_display=”” heading=”” list_h2_type=”” list_h3_type=”” display=”” frame_design=”” animation=””]

O açaí é um fruto amazônico conhecido por suas propriedades nutricionais, seu poder antioxidante, energético e seu sabor único. Há cada vez mais estudos atribuindo ao açaí a capacidade de prevenir doenças e que o consideram um forte aliado ao estilo de vida saudável. Confira neste artigo tudo que você precisa saber sobre esse interessante fruto amazônico, considerado por muitos como um super alimento e fundamental para o desenvolvimento sustentável da região amazônica.

 

1. O que é e de onde vem o açaí?

O açaí, com nome científico Euterpe oleracea, é um fruto carnudo, simples, e arredondado de coloração violácea (quase negra), quando no ponto máximo de maturação. É produzido pela palmeira açaizeira, muito comum na região da Amazônia. Seu consumo remete a tempos anteriores à civilização das Américas, e é considerado uma das principais fontes de renda de ribeirinhos do Norte do Brasil.

De acordo com o Ministério da Saúde, o açaí é considerado um alimento de grande valor nutricional, pois apresenta em sua composição fibra alimentar, antocianinas, minerais, particularmente, cálcio e potássio, e ácidos graxos essenciais. O Brasil é o maior produtor da fruta e o mercado estrangeiro vem investindo na sua importação para utilização tanto na indústria alimentícia quanto farmacêutica.

 

2. Curiosidades:

  • Do açaí tudo é aproveitado: frutos, folhas, raízes, palmito, tronco e cachos frutíferos. Puro, o açaí tende a ‘oxidar’ rapidamente, como acontece com maçã, pera, batata, batata-doce e banana. Isso ocorre devido a exposição das enzimas presentes nessas frutas ao oxigênio. Sendo o congelamento a melhor maneira de conservação do açaí.
  • Não apresenta um sabor adocicado, devido à quantidade baixa de frutose, sendo considerado por algumas pessoas como um sabor terroso, quase amargo, portanto, sendo tolerado em dietas com restrição de açúcares e carboidratos em geral, quando consumido puro e moderadamente.
  • Seu sabor inigualável também explica sua versatilidade na culinária, podendo ser combinado com diversos pratos, doces como o leite em pó ou salgados como o tambaqui frito e tapioca.
  • O aroma do açaí consiste em um éster muito suave, único na natureza, não encontrado em nenhuma outra fruta que conhecemos. E apesar de seu aspecto gorduroso, sua polpa é composta predominantemente por ácidos graxos benéficos ao coração.
  • Existe o açaí ‘branco’, também conhecido como açaí tinga. E apesar do nome, tem cor verde, mas apresenta o mesmo sabor do tipo principal, de cor roxa.
  • Devido a tantos aspectos que o tornam um produto tão peculiar, recebe o título de pérola negra da Amazônia.

É possível ter uma boa renda extra com revenda de açaí?

 

3. Qual é a informação nutricional do açaí?

A cada 100g de açaí, com base em estudos da Unicamp (Universidade de Campinas), encontram-se disponíveis 58kcal, 0,8g de proteínas, 3,9g de lipídeos, 6,2g de carboidratos, 2,6g de fibras, 35mg de cálcio, 16mg de fósforo, 0,4mg de ferro e 0,04mg de vitamina B2 e pequenas quantidades de vitamina A, Niacina, vitamina C e vitamina B1.

Artigo: Quanto custa uma franquia de açaí?

Artigo: Franquia – Tudo o que você precisa saber está aqui

 

4. Quais os benefícios do açaí?

4.1 Fonte de energia para o pré-treino

Uma das razões que levou esse poderoso fruto da amazônia a ser mais popular no país é seu uso energético. Isso não é à toa, uma vez que as propriedades naturais do açaí são os ingredientes ideais para se abastecer antes de um exercício físico.

São as proteínas e calorias do açaí que funcionam para dar aquela energia necessária ao corpo na hora da musculação e atividades físicas gerais. Ao mesmo tempo essas propriedades estão distribuídas de forma a não causar nenhum prejuízo às pessoas.

Ou seja, o açaí dificilmente vai contribuir para o aumento de peso – gordura. Pelo contrário, ele aparece como um aliado ideal para perder calorias durante a prática de exercícios físicos.

Acredita-se que, como pré-treino, tem como função primária ofertar ao organismo energia necessária para mais tempo de atividade (e energia boa, pois a gordura do açaí é melhor fonte energética do que os carboidratos), fazendo o indivíduo queimar mais calorias. Portanto, consumir açaí como pré-treino é uma excelente pedida. Além disso, as gorduras presentes no açaí auxiliam na redução do colesterol ruim (forma maligna de LDL), pois reduzem a atividade nociva dos açúcares nas artérias.

 

4.2 Açaí no pós-treino

Como mencionamos, um dos motivos de sucesso do açaí são suas calorias balanceadas, mas as proteínas naturais fazem da fruta o suplemento natural ideal para um significativo impacto no pós-treino, uma vez que essas proteínas serão utilizadas para reconstrução muscular.

Por isso, já é popular a associação entre o açaí e a fase de recuperação de atletas e pessoas que praticam musculação. Isso se deve também à presença de outras substâncias na fruta, como os polifenóis, na forma de antocianinas (uma classe de flavonóide), as quais são essenciais para prevenção de problemas relacionados com a síndrome metabólica¹.

Outros antioxidantes,  na forma dos carotenóides luteína, zeaxantina, licopeno, a-caroteno e b-caroteno podem ajudar a reestruturar os músculos durante os exercícios e diminuir os efeitos das inflamações quando os tecidos musculares são ‘rasgados’ nos exercícios.

Com efeitos ampliados, essas formas de carotenóides reduzem a produção de prostaglandinas e citocinas, substâncias inflamatórias, que estão relacionadas ao desenvolvimento de doenças cardiovasculares, diabetes, síndrome metabólica e algumas formas de câncer. Ao consumir açaí, todos esses compostos anti-inflamatórios e antioxidantes, entram em ação, inibindo efeitos do pós-treino como dores, inchaços, vermelhidão e outros sintomas causados pelo rompimento do tecido muscular durante os exercícios.

Lembre-se, para que seu músculo cresça, o tecido composto por diversas proteínas, deve se romper. Seu ‘shape’ ganha volume quando essa ‘falha’ é corrigida, no entanto, as dores são um efeito indesejado que pode ser atenuado.

¹ Síndrome Metabólica corresponde a um conjunto de doenças cuja base é a resistência insulínica. Pela dificuldade de ação da insulina, decorrem as manifestações que podem fazer parte da síndrome. Não existe um único critério aceito universalmente para definir a Síndrome. (Fonte: ESBM – Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia)

 

4.3 Açaí engorda?

Não, se consumido com moderação, dentro de sua meta de consumo de calorias e sem combinações açucaradas ou gordurosas.

Sabe-se que uma das qualidades do açaí é servir como complemento para a realização de exercícios físicos. A gordura e os carboidratos presentes na fruta ajudam a energizar o corpo para a execução dessas atividades.

Só que a presença desses compostos também levanta dúvidas sobre a possibilidade da fruta também engordar. Afinal, é senso comum que gordura e açúcar são os principais ingredientes para ganhar peso corporal.

Porém, ainda assim, o açaí não é considerado uma fruta que causa ganho de peso. Isso porque a gordura e a frutose (açúcar natural das frutas e de vegetais diversos) do açaí estão presentes em quantidades equilibradas. Elas não são excessivas ao ponto de engordar quem consome o produto em sua forma mais natural. Um pão comum, por exemplo, pode ter quase 2 vezes mais calorias e nenhum nutriente importante, em comparação com o açaí.

Mas o cuidado deve ser tomado em algumas das receitas. Alguns aditivos podem conter compostos que acabam tornando a fruta em um alimento hipercalórico, como os sorvetes de máquina e outros produtos que contêm apenas o aroma e parcelas pouco significativas da fruta. Resumindo, o açaí sozinho não engorda, mas se deve ter cuidado com os aditivos.

Artigo: Investir em Franquias — Conceitos e comparação com outros investimentos

 

4.4 Benefícios para a pele

Ele também pode trazer benefícios para a saúde da pele. Já se sabe que a composição química do açaí é eficaz em diversos aspectos da beleza.

A fruta tem potencial anti-inflamatório e antioxidante, funções importantes para hidratação e rejuvenescimento da pele, em terapias para manchas solares, causadas por espinhas ou hiperpigmentação.

4.4.1 Máscara facial de açaí

O potencial do açaí vai além de servir como alimento. Suas propriedades o torna incomparável com outras frutas. Dele derivam vários subprodutos que podem ser usados em aplicações diversas.

Uma dessas possibilidades é no próprio cuidado com a estética. E algumas dessas propriedades podem ser usadas para hidratar e conservar a epiderme, por exemplo.

Assim, esse super alimento também pode ser utilizado como uma máscara facial, semelhante aquelas feitas com mel. Como outros derivados da fruta, essa máscara pode ser feita em casa de forma barata e simples.

A máscara pode ser preparada misturando o açaí com outras frutas, principalmente o abacate. Consiste em amassar tanto o abacate e a polpa do açaí e misturá-los. O resultado será a solução pastosa apropriada para ser usada na pele.

A máscara deve ser aplicada depois que o rosto estiver devidamente limpo (geralmente com água e sabão neutro). Com a pele já seca, se deve aplicar a solução através de massagem leve sobre os pontos indicados para tratamento.

Outra opção pode ser uma pasta sobre o rosto ou em outras regiões corporais. A composição é resultado de uma mistura de açaí com óleo vegetal e deve ser aplicada com movimentos circulares.

 

Importante: É necessário considerar o seu tipo de pele antes de iniciar qualquer tratamento caseiro.

Notícia: Cosméticos de açaí crescem no mercado e tornam-se opções para quem deseja empreender com a fruta.

 

5. Cultura do açaí na Amazônia

Do papel que o açaí desempenha na culinária nacional, sempre se destaca a tradição paraense sobre a fruta. São séculos de aproveitamento na cozinha popular do estado, a ponto de se tornar um dos símbolos da Amazônia.

Certamente seu uso mais tradicional é com farinha de tapioca (quase sempre sem açúcar). Para boa parte dos paraenses, esse é o jeito correto de se comer açaí. É considerado um modo simples e mais próximo do seu aproveitamento natural.

Mas isso não significa que para os paraenses não seja possível acompanhar outros alimentos. A mais famosa combinação é açaí com peixe frito. Também tem derivações culinárias interessantes como o sorvete de açaí e ‘chopp’ – conhecido em outras regiões do Brasil como dindin, geladinho ou sacolé.

A cultura do açaí na Amazônia é a conciliação perfeita entre tradição e modernidade.

 

6. Por que o açaí é a pérola negra da Amazônia?

O açaí é uma das frutas símbolos da região amazônica. Isso não é à toa. Afinal, sua existência só é possível dentro das condições peculiares da floresta amazônica. A presença do fruto é resultado direto dos milênios de evolução da mata tropical sul-americana.

É algo que já parte da própria natureza do açaizeiro, a árvore da qual brotam os frutos que tanto amamos. Trata-se de uma palmeira que se desenvolveu devido ao clima úmido do ambiente tropical amazônico.

A essas condições, o açaizeiro deve seu crescimento robusto. Sua média é de doze metros de altura e um diâmetro de quatorze centímetros. Seu potencial máximo é chegar a vinte metros de altura.

Outra característica única que é resultado da influência amazônica é a madeira forte do açaizeiro. É de tamanha resistência que chega a ser usado para construir casas e abrigos na região.

Quanto ao consumo, a fruta está há séculos servindo como um dos pilares da cultura de coleta na Amazônia. A tradição silvícola que envolve o açaí tem sido o sustento de povos indígenas amazônicos e continua importante ainda hoje.

Dessa cultura tradicional que deriva o moderno cultivo que movimenta um mercado lucrativo.

A importância do açaí para a região amazônica põe em destaque o papel da sustentabilidade. Afinal, se trata de um dos alicerces da silviculturada região. Por séculos serviu de sustento para indígenas e ribeirinhos baseados na economia de coleta.

 

Leia: O melhor negócio para cidades pequenas

6.1 Açaí e o agronegócio

Mesmo com a incorporação do açaí no agronegócio, essa tradição não deve ser desprezada. Na verdade, ambas podem gerar benefícios mútuos entre si.

Da cultura silvícola, o plantio de açaí pode apreender métodos de crescimento sustentável onde o empreendimento anda em conjunto com a preservação. Já a incorporação da agricultura moderna pode ajudar a capacitar povos tradicionais que ainda têm a fruta como parte do sustento.

São lados que podem se complementar para encarar os desafios da agricultura atual.

Por trás da variedade de produtos derivados do açaí e disponíveis no país inteiro, há um processo exaustivo de produção. A colheita da fruta é um trabalho que já possui tradição e que vem sendo ampliado com a modernização do agronegócio. Ainda assim não perdeu sua característica artesanal.

Em primeiro lugar, o açaizeiro é uma árvore de tamanho largo que torna a colheita um processo ainda mais oneroso. A média da planta corresponde a doze metros de altura e quatorze centímetros de diâmetro. Isso obriga os coletores a escalarem a árvore para extrair a fruta.

Outra questão é sobre a condição da fruta para ser colhida. O açaí precisa obter certo amadurecimento para ser extraído para consumo. Se a fruta ainda estiver verde, é sinal de que ainda não está pronta para a colheita. Isso só acontece quando o açaí atinge a conhecida coloração roxa, embora exista o açaí ‘branco’, uma variedade rara de coloração clara, também chamado de açaí tinga, e de acordo com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), “com o mesmo sabor do ‘irmão’ roxo, possui consumidores fiéis que chegam a pagar até o dobro pelo produto”.

A colheita é realizada entre agosto e fevereiro. Por conta dos riscos para escalar a árvore, os trabalhadores devem usar o equipamento de segurança necessário. No caso, cintas que tornam a escalada segura para o trabalhador. Outro equipamento necessário é o facão. Conhecido como terçado na Região Norte, ele serve para cortar os cachos com os frutos do açaizeiro.

 

A onipresença do açaí na culinária e na economia de sustento na Amazônia influencia também a cultura popular. Não faltam homenagens às qualidades, trabalho artesanal e mesmo lendas que envolvem esse importante alimento que há milênios supre os povos da região.

Exemplo disso são as diversas pinturas que retratam as atividades de colheita e preparo da fruta. Alguns desses quadros são devotos de estilos populares como o naif. Há também há aqueles de influência modernista, próximos de estilos como o cubismo. Os quadros de Ralfe Braga, por exemplo.

Já a literatura de cordel resgata um imaginário místico em torno do açaí. São poesias e contos populares que envolvem as origens desse fruto amazônico em torno de alguma lenda ou mitologia popular.

O artesanato e a canção também demonstram a proeminência do açaí na arte popular.

 

7.1 Açaí na música popular brasileira

Nossa música popular costuma ser rica em versar sobre elementos naturais do nosso país. Não é diferente com o açaí que já virou tema de muitas canções famosas.

Por exemplo, são bem conhecidos aqueles versos enigmáticos do compositor Djavan em sua canção: “Açaí”. Já Caetano Veloso coloca a fruta como exemplo de beleza ao cantar dos “Lábios cor de açaí”, em Trem das Cores.

Mas a homenagem mais clara foi do compositor paraense Nilson Chaves, que coloca o super alimento como símbolo de seu estado. Canções como “Sabor do Açaí” e “Minha Terra” colocam em cena a importância da fruta para o Pará.

Cada vez mais popular, o açaí ainda hoje é fonte de inspiração para a música popular brasileira.

 

7.1.1 Canção do Djavan

Como parte da cultura brasileira, o açaí é presença marcante também em canções populares. Um dos exemplos mais famosos de homenagem à fruta é a canção “Açaí” do cantor e compositor, Djavan. A canção foi lançada no quinto disco do músico alagoano, intitulado “Luz”, e desde então é um clássico da música brasileira.

Destaque para o refrão enigmático. A referência à fruta, na letra, vem acompanhada de palavras desconexas à primeira vista. “Açaí, guardiã, zum de besouro, um imã branca é a tez da manhã”. É algo bem típico de Djavan que é famoso pelas letras reflexivas.

Mas conforme se relaciona o refrão com a letra completa da canção, se pode ter uma ideia mais precisa. Embora as palavras surjam sempre de forma aleatória, a poesia da canção trata de dar um significado próprio.

Versos como “rajada de vento, som de assombração” e “místico clã de sereia, som de assombração” dão o sentido. Trata-se de um cenário bucólico de alguém que descansa na beira de um litoral.

Então, o açaí na canção é a principal imagem que a tranquilidade brasileira. Parte de um cenário calmante e natural.

Ouça agora: Djavan – Açaí (Áudio Oficial)

 

8. Lenda da origem do açaí

O açaí sempre foi parte das culturas tradicionais da Amazônia. A colheita da fruta realizada pelos povos silvícolas da região sempre foi parte de uma economia que perdurou durante séculos. Desse vínculo entre o fruto amazônico com tradições, muitas histórias místicas foram contadas sobre sua origem.

Uma das lendas mais conhecidas é a do cacique Itaki, chefe de uma tribo localizada onde hoje seria Belém, ele determina que as crianças seriam sacrificadas. Isso para resolver o problema de escassez alimentar que atormentava a vila.

Isso incluiu a cria de sua filha Iaçã. Inconsolável, a princesa chorava todas as noites pela criança sacrificada. Entre as noites melancólicas ela pediu a Tupã que mostrasse uma alternativa ao sacrifício de crianças.

Em certa noite de lua cheia, Iaçã viu sua filha sorridente junto a uma palmeira. Iaçã se aproximou da planta, mas a criança desapareceu. Desesperada, Iaçã morreu de desconsolo.

Seu corpo foi encontrado na manhã seguinte. Os olhos continuavam abertos e olhando para um cacho de frutas que surgiu na palmeira. A fruta recebeu o nome da filha de Iaçã, Açaí, e foi abundante o suficiente para abolir os sacrifícios.

 

9. O açaí e o ecoturismo

A associação do açaí com a região amazônica também aponta seu potencial ecoturístico. Afinal, o sucesso que o açaí proporciona a milhares de pessoas e negócios, em tempos recentes, tem aumentado a curiosidade culinária e cultural.

O resultado é que muitos turistas visitam a região amazônica para experimentarem as receitas tradicionais do açaí. Isso contribui para a economia local, na qual se incluem pequenos comerciantes e feirantes que oferecem a iguaria, o que reflete na agricultura orgânica que ainda é forte e muito dependente na região.

Igualmente importante, a produção integra o turismo ao desenvolvimento sustentável, sendo necessária atualmente para a preservação da Amazônia.

Portanto, o investimento no açaí é essencial tanto para a economia local quanto para a conservação da floresta.

O açaí é indissociável da região amazônica da qual é natural. O mesmo pode ser dito sobre a culinária que envolve a fruta. Receitas envolvendo a fruta já estão há bastante tempo incorporadas na culinária popular do norte do país.

Não à toa, atrai muitos turistas curiosos para conhecer o açaí em suas receitas mais autênticas, afinal, há um mundo envolvendo a fruta para além da combinação com guaraná tão popular no Sudeste.

Existem restaurantes de excelência nas cidades da região norte que são especializados em receitas tradicionais de açaí. Um exemplo é o “Remanso do Bosque”, um dos restaurantes mais consagrados de Belém (PA). Ali se destacam receitas como o pão de açaí no vapor, um dos carros-chefes do restaurante.

Também vale mencionar o restaurante Waku Sese de Manaus, AM (conheça aqui) que ficou famoso pelas receitas tradicionais de açaí. Trata-se de uma das melhores opções quando o assunto é combinações como o açaí artesanal com farinha de tapioca.

As boas e velhas feiras livres oferecem opções de mais baratas e próximas da produção popular. É fácil encontrar bancas de açaí em lugares como o mercado Ver-o-Peso em Belém.

 

10. Como empreender com açaí?

10.1 Os vários tipos de fórmula de açaí

Um dos motivos do sucesso do açaí como negócio é sua versatilidade. Franquias alimentares têm aproveitado a variedade de derivados como um empreendimento rentável. Algo que se pode perceber nas bancas de açaí cada vez mais presentes nas cidades.

Certamente, o mais popular subproduto do açaí, é a receita que o mistura com guaraná. É uma solução que surgiu no Rio de Janeiro e conquistou o país. Embora a tradicional receita da região amazônica de açaí com farinha de tapioca também é uma alternativa. Boa para fortalecer o açaí como produto regional.

Mas há outras variedades como o sorvete de açaí. São amostras da riqueza da fruta que podem ser úteis para pequenos comerciantes.

O sucesso recente da fruta amazônica está atrelado à sua proliferação nas grandes cidades brasileiras. Franquias de alimentação têm investido na fruta, pois perceberam seu potencial para o cotidiano urbano.

Isso inclui um aproveitamento único para a economia popular nas ruas e feiras. Algo que pode ser percebido quando se anda nos calçadões dos grandes centros urbanos. Carrinhos de açaí são tão comuns de se encontrar nas praias quanto os de picolés.

Bancas e trailers vendendo açaí também são comuns de encontrar nas feiras livres. Pra não falar das pequenas lanchonetes que comercializam o sorvete (com menos fruta, porém).

Essa adaptação é possível devido a própria facilidade para preparar produtos derivados dessa fruta. Muitas das receitas são de fácil preparo caseiro e algumas são adaptáveis para serem comercializadas na rua.

Tomemos o popular açaí com guaraná que está sempre presente nas cidades. Não é apenas uma receita de preparo simples, como também os ingredientes para combinar são baratos para serem comprados. Mesmo as combinações encontradas em franquias são fáceis de montar, afinal, poucos alimentos são de preparo tão simples e imediato quanto o bom e velho açaí.

Notícia: Franquias de açaí crescem em 200% nos últimos anos no Brasil

 

10.2 Franquias alimentares com foco em açaí

O crescente mercado de franquias de alimentação com foco no açaí tem seu motivo de ser. Afinal, a fruta tem se mostrado um negócio promissor para empreendedores da alimentação.

Isso vai além da proliferação de pontos de venda de açaí que surgem nas cidades brasileiras. No agronegócio, o plantio de açaí virou algo tão próspero que chega a garantir lucro de 100% para fazendas na região da Amazônia.

Também é conhecido o sucesso que o açaí tem feito como produto de exportação. Afinal, é fato que o açaí está prosperando em mercados internacionais como o norte-americano.

No mercado interno, não é mistério que a fruta é um produto com cada vez mais demanda no país.

Notícia: Exportação do açaí cresce e franquias no exterior tornam-se opções rentáveis para quem quer empreender

A expansão do mercado do açaí não se limita às grandes cidades brasileiras. Já se sabe que parte da popularidade do produto se deve ao imenso sucesso que tem obtido no mercado externo. Dessa forma, o açaí tem se tornado um dos produtos mais promissores para o nosso agronegócio.

 

Matéria: Desvendando as melhores franquias – uma jornada rumo ao sucesso empresarial

 

10.3 Os maiores consumidores estrangeiros

O maior consumidor no mercado externo são os Estados Unidos da América. Os norte-americanos consomem 40% do açaí para exportação, quase metade da produção brasileira. Também demonstram ser o mercado mais avançado para a recepção da fruta. Isso porque franquias de alimentação já levam o açaí para o cotidiano dos americanos.

O segundo maior mercado que recebe a fruta brasileira é o Japão. O que não chega a surpreender, devido a imensa comunidade de brasileiros e descendentes no país. Também no Japão, existem franquias de alimentação que fazem sucesso por apostar no açaí. Especialmente aquelas empresas locais especializadas em produtos brasileiros.

Já o mercado europeu ainda é tímido quanto ao produto. A aceitação do mercado europeu ainda é um desafio para produtores brasileiros interessados em expandir seu comércio. Ainda assim países como a Alemanha têm demonstrado interesse crescente em comprar o açaí brasileiro.

 

10.4 Escolhendo um ponto comercial para vender açaí

Para investir em uma marca fitness ligada ao açaí, uma série de procedimentos devem ser tomados. Em primeiro lugar: a localização do negócio. O ponto ideal para vender pode estar especialmente localizado em lugares apropriados para exercícios físicos. Logo, áreas próximas de academias e calçadões são mais estratégias para o negócio.

Claro que pensar na localização é importante para alcançar o tipo de público que você deseja. No caso, a proximidade para atrair pessoas preocupadas em manter o corpo em forma.

Assim, é importante também pensar na imagem para vincular melhor o açaí com o ganho energético saudável. Logo, desde a fachada da lanchonete até o nome das receitas da fruta devem ser trabalhados de forma a reforçar a associação.

Mesmo material extra que sirva como brinde para o cliente pode ser usado para vincular o produto com uma imagem esportiva. Um exemplo são folhetos que podem ser anexados ao cardápio dando dicas para realizar exercícios físicos.

Mas além disso, o ponto comercial vai bem em qualquer lugar onde exista grande fluxo de pessoas, pois o açaí não é um produto ‘nichado’ como o sushi, por exemplo. Tanto jovens, quanto adultos, idosos e crianças, respeitando restrições particulares, consomem muito o produto.

Institucional: Maria Delivery — nosso modelo de baixo custo

 

Baixe grátis:

 

 

Leia também:

Guia de Investimentos: Bolsa de Valores, Produtos Bancários, Negócio Próprio ou Franchising?

Como Investir em Franquias? Veja essa comparação com outros investimentos;

Afinal, o que é franchising?

Franquias de baixo custo: vale a pena investir em negócios consolidados.

 

 

 

Leia também:

Franquia: o melhor negócio para aposentados?

Gostou? Compartilhe este conteúdo!

Facebook
Twitter
LinkedIn
plugins premium WordPress