Pesquisas sobre açaí movimentam milhões de reais a cada ano e promovem investimentos para a produção da fruta 

Sumário

Além de contribuírem com a sustentabilidade econômica de regiões menos industrializadas, pesquisas sobre açaí beneficiam diversas outras atividades e garantem o sustendo de milhares de famílias.

 

As tecnologias são grandes aliadas na produção do açaí e se antes a colheita do fruto e a extração da polpa eram feitas totalmente de maneira manual, hoje em dia já existem maquinários que auxiliam os produtores durante o processo.

Tudo isso é disponibilizado graças às pesquisas e apoio que os ribeirinhos vêm recebendo de diversos meios. 

Pesquisas com foco em desperdício

Segundo a Empresa Brasileira de Pesquisa e Agropecuária (Embrapa), estudos realizados sobre o fruto movimentaram cerca de R$144 milhões na Amazônia em 2019, e esses estudos, têm retorno para a sociedade e também auxiliam na sustentabilidade do fruto, evitando desperdício e problemas ambientais futuros.

Dados da Associação Brasileira dos Produtores Exportadores de Frutas e Derivados (Abrafrutas), indicam que as más condições de transporte e de armazenamento geram perdas de 30% a 40% da produção, então, de modo a evitar o desperdício, até os caroços do açaí passaram a ser utilizados. 

Por causa dessas pesquisas, por exemplo, o que antes era descartado, hoje pode se tornar concreto pavimentado.

Outras atividades impactadas pelas pesquisas

Outros investimentos também só foram possíveis graças às pesquisas sobre açaí. 

A implementação de maquinário agrícola e equipamentos de segurança para os produtores se enquadram nesta característica.

Além disso, em 2015 foi criada a Casa do Açaí, em Belém do Pará, com o intuito de ensinar e formar produtores a respeito da plantação do fruto.

Técnicas de manejo, de armazenamento e até o cuidado com a Doença de Chagas fazem parte do curso, que capacitou 2.247 novos batedores somente em 2019.

 

Retorno financeiro das pesquisas sobre açaí

A Embrapa ainda revela que a cada R$1 real investido nas pesquisas sobre açaizais nativos, cerca de R$45retornam para a população local, especialmente do Amapá e Pará, gerando assim apoio e capacitação para quem sobrevive com a renda originada do açaí.

Outros benefícios podem ser destacados como venda em escala e maior margem de lucro para os ribeirinhos. Ambos, fundamentais para que a população continue encontrando no açaí uma fonte de renda digna.

 

Leia também:

Franquias de açaí crescem em 200% nos últimos anos no Brasil (Ler);

Maria Açaí Registra Recordes de Vendas no Delivery em Plena Pandemia (Ler);

“Marias Empreendedoras”, conheça a trajetória de mulheres ligadas à Maria Açaí (Ler).

 

Baixe grátis:

 

Leia também:

Franquia: o melhor negócio para aposentados?

Gostou? Compartilhe este conteúdo!

Facebook
Twitter
LinkedIn
plugins premium WordPress