lenda-acai

A Lenda do Açaí 

Sumário

Era uma vez uma tribo muito populosa que habitava as florestas de Belém, no Pará. Diz a lenda que houve uma época na qual a aldeia passava por necessidades pela escassez de alimento. 

Itaki, o cacique da tribo, apresentou uma solução radical: para controlar o número de habitantes, determinou que todos os bebês que nascessem a partir de determinada data deveriam ser sacrificados. 

A determinação de Itaki foi cumprida. Até que um dia, sua própria família, aconteceu com sua própria famíliaA filha de ItakiIaçã, deu a luz à uma menina, que logo foi sacrificada por ordem imposta pelo próprio avô. 

Iaçã ficou arrasada. Conta-se que passou dias e dias chorando em sua oca, sem sair, da qual só se ouviam os prantos lamuriosos da jovem índia. Chorou tanto que se elevou a Tupã, divindade indígena suprema. 

Sensibilizado, Tupã decidiu ajudar Itaki a encontrar outra forma de alimentar sua tribo, para que não houvesse mais sacrifício de bebês e o consequente luto dos familiares. 

Um dia, Iaçã escutou um choro de criança do lado de fora e finalmente deixou a oca, à procura da origem do choro. Foi quando avistou sua filhinha ao lado de uma palmeira. 

Emocianada, a filha de Itaki, Iaçã, correu na direção da criança e a segurou nos braços. Logo em seguida, ela sumiu misteriosamente dos braços da mãe, se esvaindo como o vento. 

Novamente, a moça caiu em prantos, inconsolável. Chorou por dias e noites. Chorou tanto que perdeu as forças e veio a falecer. 

Na manhã seguinte, o corpo de Iaçã foi encontrado abraçado à palmeira. Em seu semblante havia um sorriso, que parecia reconfortado e em paz. 

Itaki decidiu enterrar sua filha ali mesmo, aos pés da palmeira que Iaçã morrera abraçada. Uma espécie de simbolismo. 

Dias depois, o próprio Itaki percebeu que, da palmeira, nasciam pequenos frutos da cor roxa. Daquela palmeira, nasceram outras, que floresceram e deram os mesmos frutos. 

Em homenagem à sua filha, a qual teve as preces ouvidas por Tupã, Itaki a homenageou dando o nome de “Açaí” (ou Iaçã ao contrário) ao fruto que salvou sua tribo da fome.

 

Baixe grátis:

 

 

 

Leia também: Açaí, a Pérola Negra da Amazônia

Leia também:

Franquia: o melhor negócio para aposentados?

Gostou? Compartilhe este conteúdo!

Facebook
Twitter
LinkedIn
plugins premium WordPress